Avançando em nossa ambição de democratizar a inteligência artificial

Por Harry Shum //

Estamos em um momento incrível da história da tecnologia.

Graças ao poder da computação em nuvem, algoritmos mais avançados e a disponibilidade de quantidades massivas de dados, o campo da inteligência artificial (IA) explodiu, permitindo que cientistas da computação criem tecnologias que muitos de nós apenas sonhávamos há poucos anos.

Usando o aprendizado profundo, os computadores de hoje podem reconhecer as palavras em uma conversa do mesmo jeito que uma pessoa e fornecer tradução em tempo real. Graças aos avanços em campos como aprendizado reforçado, estamos fazendo progressos tangíveis no esforço de construir sistemas que possuam uma verdadeira inteligência artificial. Na Microsoft, acreditamos que todos merecem aproveitar essas descobertas, tanto no trabalho quanto em suas vidas pessoais.

Em resumo, estamos comprometidos em democratizar a IA e torná-la acessível para todos.

É uma ambição que compartilhamos com a OpenAI, uma organização sem fins lucrativos de pesquisa sobre IA fundada por Elon Musk, Sam Altman, Greg Brockman e Ilya Sutskever. Anunciamos uma nova parceria com a OpenAI, focada em realizar contribuições significativas para avançar no campo da IA, seguindo em nosso objetivo mútuo de usar a inteligência artificial para enfrentar alguns dos mais desafiadores problemas do mundo.

Também estamos animados pelo fato de a OpenAI escolher o Microsoft Azure como sua principal plataforma de nuvem, para ajudar nos avanços das pesquisas e em criar novas ferramentas e tecnologias que só são possíveis com a nuvem. A OpenAI escolheu a Microsoft devido à nossa profunda pesquisa em aprendizado e nosso comprometimento com a IA, assim como o suporte do Azure para tecnologias open source e sua combinação única de alto desempenho computacional, big data e recursos de inteligência como Azure Batch, Azure Machine Learning e Microsoft Cognitive Toolkit (antigo CNTK).

A OpenAI é uma das primeiras a adotar as Máquinas Virtuais Azure N-Series, que estarão disponíveis para todos em dezembro. Essas máquinas virtuais foram criadas para cargas de trabalho computacionais, que incluem aprendizado profundo, simulações, renderização e o treinamento de redes neurais. Elas também oferecem recursos de visualização de alto rendimento para cenários de estação de trabalho e streaming ao utilizar o NVIDIA GRID no Azure.

Além da OpenAI, outras empresas como Esri e Jellyfish Pictures já estão utilizando o Azure N-Series. A Esri está usando os recursos da GPU (Unidade de Processamento Gráfico) da N-Series para alimentar seu software de mapeamento, e o estúdio de efeitos visuais Jellyfish Pictures o utiliza para renderizar efeitos visuais fotorrealistas e animações em larga escala.

À medida que as necessidades de computação dos nossos clientes aceleram, trabalhamos em parceria com a NVIDIA para atender a essas necessidades. Anunciamos que o Microsoft Cognitive Toolkit foi otimizado para rodar as Máquinas Virtuais Azure N-Series equipadas com NVIDIA Tesla GPUs e estamos trabalhando juntos para produzir a próxima geração de inovação de hardware com GPUs baseadas em Pascal no Azure, em um futuro próximo.

Também apresentamos o Azure Bot Service, o primeiro do tipo no setor. Com esse novo serviço, os desenvolvedores podem acelerar o desenvolvimento de bots com o Microsoft Bot Framework e facilmente desenvolver e gerenciá-los em um ambiente no Azure. Rodando em Azure Functions, esses bots podem escalar sob demanda e você só paga pelos recursos que seus bots consumirem. Azure Functions, que já estão disponíveis, podem ser usados para maximizar o desenvolvimento ágil e a eficiência operacional de quase qualquer app ou serviço a um custo baixo.

As novidades de hoje estão estruturadas em outros lançamentos recentes do Azure criados para potencializar avanços em IA. Mais de 50.000 desenvolvedores já estão produzindo bots com o Microsoft Bot Framework, e empresas como Lowe’s, Uber, DutchCrafters, e AllRecipes.com utilizam Cortana Intelligence e Azure para transformar seus negócios.

Tivemos grandes avanços em inteligência artificial nos últimos cinco anos, atingindo marcos que muitas pessoas que dedicaram suas vidas ao campo achavam que não seria possível. Agora temos a oportunidade de ajudar nossos parceiros e clientes a aproveitarem esses avanços para atingir seus objetivos.

Na imagem, Harry Shum e Sam Altman, co-presidente da OpenAI (Foto: Brian Smale).

Harry Shum é vice-presidente executivo de Inteligência Artificial e do Grupo de Pesquisa da Microsoft.