Pesquisa da Microsoft aponta otimismo dos brasileiros sobre o impacto da tecnologia para novos negócios

Além do estímulo ao empreendedorismo, o internauta brasileiro é o que mais tem integrado o uso da tecnologia em seus hábitos de consumo na busca pelo melhor preço

São Paulo, 1 de abril de 2015 – Para 83% dos brasileiros, a tecnologia pessoal ajudou a melhorar a inovação no campo dos negócios. Atrás somente da Indonésia, o brasileiro é um dos povos mais otimistas em relação ao impacto positivo da tecnologia como indutor de ideias inovadoras dentro das empresas. É o que mostra a segunda edição do estudo da Microsoft “Views Around the Globe” (Visões ao redor do mundo), realizado com usuários de internet. O objetivo da pesquisa é compreender a dimensão e a influência da tecnologia na vida das pessoas.

Com questões que percorriam do ambiente econômico à contribuição para a saúde, o estudo demonstra como as pessoas têm utilizado a tecnologia pessoal para buscar inovação em todos os setores da vida, tanto pessoal quanto profissional. Foram entrevistadas 12 mil pessoas de 12 países entre dezembro de 2014 a janeiro deste ano. Para o bloco de economias emergentes, foram considerados Brasil, Índia, Rússia, China, Turquia, África do Sul e Indonésia. Já no grupo dos desenvolvidos ficaram Estados Unidos, França, Alemanha, Japão e Coreia do Sul.

Ainda dentro do cenário de inovação nos negócios, no Brasil, 82% se dizem otimistas sobre a contribuição da tecnologia na criação de novas empresas. A percepção favorável é realmente mais comum em países emergentes, onde 76% dos entrevistados disseram acreditar na tecnologia como um fator que impulsiona a inovação, enquanto que, nas economias desenvolvidas, o índice é de 63%. Já em termos de produtividade, 70% dos brasileiros enxergam uma contribuição da tecnologia nesse aspecto. Já na China esse índice é de 71% e na Índia 76%. Na comparação com países desenvolvidos, como Estados Unidos e Alemanha, essa diferença aponta um forte contraste, já que os índices estão entre os mais baixos, com 57% e 56%, respectivamente.

O povo brasileiro é também o que mais tem utilizado a tecnologia para encontrar produtos com os menores preços. De acordo com a pesquisa, 88% dos entrevistados no Brasil acreditam que os serviços de internet contribuem para auxiliar as pessoas a encontrarem itens com valor mais em conta. Esse percentual está acima da média global, de 74%, e também dos índices tanto dos países emergentes (72%) quanto dos desenvolvidos (77%).

Economias emergentes e países em desenvolvimento com visões distintas

Para Marcos Swarowsky, diretor de Advertising Online da Microsoft, a pesquisa consolida percepções já fundadas sobre a contribuição da tecnologia para a transformação em todo o mundo. No entanto, o estudo aponta uma divergência digital nas atitudes dos usuários de Internet nos países em desenvolvimento em comparação com aqueles de economia já estabelecidas. “Em linhas gerais, para os entrevistados de países emergentes é mais forte a percepção sobre o potencial da tecnologia como um gerador de oportunidades e acesso a informações capaz de estabelecer uma ponte entre as lacunas econômica e social dessas regiões”, explica.

Há uma onda de otimismo em todo o mundo em relação a profissões nas áreas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática. Dos entrevistados, 46% acreditam que esses campos serão responsáveis por gerar as melhores oportunidades de trabalho no futuro. Em países em desenvolvimento, 90% dos homens entrevistados pela pesquisa disseram-se interessados em seguir uma profissão em algum desses quatro campos. Entre as mulheres, esse percentual também é elevado, de 79%.

Além do aspecto de dimensão econômica, a pesquisa traz algumas constatações curiosas sobre como a tecnologia tem sido utilizada para estabelecer hábitos de vida mais saudável por meio, por exemplo, de aplicativos para ginástica, dieta e contagem de calorias. Nos países em desenvolvimento, 57% da população acredita que a tecnologia pessoal pode ter impacto positivo nesse quesito, enquanto nos países desenvolvidos esse índice é de apenas 38%.

Assim como na área de saúde, alguns países acreditam que o uso da tecnologia pode acrescentar valores ao aprendizado das crianças. Países desenvolvidos e emergentes concordam com essa visão de maneiras diferentes. Nos países desenvolvidos, 52% dos pais acreditam que a tecnologia melhora as habilidades dos seus filhos para o futuro. Já nos países em desenvolvimento, 58% dos pais entendem que a tecnologia pessoal amplia o conhecimento de mundo para as crianças. Uma leitura sobre essa percepção é que no bloco de países emergentes, a tecnologia é utilizada como um elemento de inclusão social.

Clique aqui para ver a pesquisa completa.

Sobre a Microsoft Brasil

Fundada em 1989, a Microsoft Brasil possui 11 escritórios em todo o País. Nos últimos 12 anos, a empresa investiu mais de R$ 239 milhões em projetos sociais, levando tecnologia a escolas, universidades, ONGs e comunidades carentes. É uma das 110 subsidiárias da Microsoft Corporation, fundada em 1975, empresa líder mundial em software, serviços e soluções que ajudam empresas e pessoas a alcançarem seu potencial pleno.

Acesse também

Blog Microsoft Brasil: http://www.blogmicrosoftbrasil.com.br/
Blog de interoperabilidade da Microsoft Brasil: Porta 25
Microsoft Brasil no Twitter: @MicrosoftBR
Microsoft Brasil no Facebook: www.facebook.com/MSFTBrasil

Para mais informações à imprensa, contate:

FSB Comunicações

(11) 3165-9647

Kaoane Setti — kaoane.setti@fsb.com.br
Leandro Bortolassi — leandro.bortolassi@fsb.com.br

Tags: , , , ,

Posts Relacionados