Um ônibus que só pega os sinais verdes? O Los Angeles Metro explora essa ideia com dados

O sistema de ônibus Metro, no condado de Los Angeles (EUA), passa por uma vasta área de mais de 3 mil quilômetros quadrados, transporta 10 milhões de pessoas e possui quase 16 mil paradas de ônibus. Mas persuadir as pessoas a abandonar seus carros tem sido uma tarefa difícil, refletida na redução do número de passageiros nos últimos anos.

A tendência expõe a queda nacional no uso do transporte coletivo, o aumento das vendas de veículos e o preço relativamente baixo da gasolina – fatores que contribuem para o congestionamento. Ao mesmo tempo, uma pesquisa recente do Los Angeles County Metropolitan Transportation Authority (Autoridade Metropolitana de Transporte do Condado de Los Angeles), ou Metro, descobriu que muitas pessoas estavam preocupadas com a duração, a confiabilidade do serviço, a segurança e os padrões de viagem em constante mudança.

Para atrair as pessoas de volta aos coletivos, o Metro está reformulando seu serviço em um projeto de um ano, que incluirá Wi-Fi gratuito em todos os 2.200 ônibus até 2019. Lançado no ano passado em 150 ônibus, o Wi-Fi fará mais do que ajudar os motoristas a verificarem o e-mail e navegarem na web. Funcionários dizem que dados de ônibus conectados podem torná-los mais rápidos e seguros, gerar mais receitas e preparar o Metro para a chegada de veículos autônomos.

“Estamos buscando maneiras de aumentar o número de passageiros, mas também fizemos algumas coisas visando o futuro, quando possivelmente teremos veículos sem motoristas”, diz Doug Anderson, diretor sênior de estratégia digital e inovação no Metro.

O Wi-Fi está substituindo o sistema de gerenciamento de tráfego baseado em rádio, permitindo que a agência extraia dados em tempo real da localização do ônibus com mais frequência – a cada 5 segundos, em vez de 3 minutos. Os dados mais importantes vão gerar rotas de ônibus mais eficientes, previsões de chegada mais precisas e mais serviços digitais para os clientes do Metro.

Os usuários geralmente relatam problemas de segurança aos motoristas, ou perguntam sobre rotas e paradas. Mas o que acontecerá quando esses motoristas desaparecerem nos ônibus autônomos?

Para os ônibus com Wi-Fi, o Metro criou um novo aplicativo com informações úteis para o cliente, incluindo um mapa da localização, rota e três paradas do ônibus. Construído com a tecnologia de nuvem Azure, da Microsoft, o aplicativo pode conectar instantaneamente os clientes com um agente do Metro em espera, que pode ver o mesmo mapa, conversar e responder às perguntas.

“É como se eles andassem com você e tivessem tudo ao alcance das mãos em termos de conexões e agendamentos para ajudá-lo(a) de forma eficiente”, diz Anderson.

Para melhorar a segurança do trânsito, o aplicativo também permite que os clientes toquem um botão vermelho para relatar rapidamente problemas de segurança à equipe 24 horas do Metro. Após alguns segundos, agentes de segurança e departamentos de polícia podem ver onde o ônibus está em um mapa e vídeos ao vivo de dez câmeras de segurança a bordo.

“Eles podem ver imediatamente o que está acontecendo dentro do ônibus e determinar a resposta apropriada”, afirma Anderson.

Os dados também estão ajudando um projeto inovador para melhorar o serviço da Orange Line, uma rota de ônibus de 28 quilômetros no vale de San Fernando, uma grande região no condado de Los Angeles. A rota usa uma única pista de ônibus. Então, os ônibus não competem com os carros no trânsito, mas precisam parar nos semáforos. Os funcionários estão combinando dados de sinais de trânsito e ônibus conectados para encontrar a velocidade ideal para conseguir passar com segurança em todos os sinais verdes.

“Isso acelerará as coisas para os clientes e pode aumentar a frequência de serviço, porque poderemos adicionar uma corrida extra no dia”, conta Anderson. “E nós estamos fazendo isso de uma maneira que possamos aplicá-lo a outras rotas e compartilhar a tecnologia.” O projeto piloto faz parte da abordagem do Metro no desenvolvimento e teste de software baseado em nuvem local, tornando-o de código aberto e fácil de usar para outras agências de trânsito.

Outros projetos de dados do Metro incluem manutenção preditiva, guias de viagem do cliente com informações em tempo real e publicidade direcionada. O Metro não rastreia a localização do cliente, mas pode rastrear a atividade web de usuários do Wi-Fi pela localização do ônibus, rota e hora do dia. Os dados podem alimentar perfis demográficos para anúncios digitais direcionados no exterior do ônibus que geram mais receita do que os anúncios em papel atualmente em uso.

Anderson diz que os dados também podem alimentar melhores bases de dados, históricos de acidentes rodoviários e incidentes de segurança, ajudando os motoristas a observar os perigos e os departamentos de polícia para designar patrulhas.

“Todo esse trabalho torna os ônibus mais seguros, mais rápidos, mais eficientes e mais sensíveis às necessidades dos clientes, e espero que melhore nosso número de passageiros”, conclui.

Em todas as fotos, o ônibus Metro Line Orange, de Los Angeles. Cortesia de Los Angeles County Metropolitan Transportation Authority.