Construir um futuro melhor para os fabricantes: Indústria 4.0

Indústria 4.0

Estamos a viver tempos revolucionários na indústria da manufactura. A Indústria 4.0 está neste momento a transformar digitalmente tudo o que nos rodeia. Com tecnologia de conectividade, análise de informação avançada e realidade aumentada em tecnologias como o HoloLens, as nossas fábricas nunca mais serão as mesmas, e até 2022, 40% dos processos operacionais terão autoaprendizagem e autorregeneração. Com o uso sustentável de recursos, ciclos de manutenção mais seguros e colaboradores com mais poder, o serviço ao cliente vai melhorar e o seu feedback vai dar forma aos produtos que vendemos, compramos e usamos no nosso dia-a-dia. Resumidamente, a Indústria 4.0 não vai ser apenas benéfica para os fabricantes, vai também ser melhor para empresas, colaboradores e consumidores.

O  crescente número de aparelhos interligados gera uma enorme quantidade de informação. Em todos os sectores temos vindo a perceber que as empresas estão a investir em equipamento e software que permita a esta informação fluir entre diferentes plataformas, pessoas e processos para criar sistemas e fluxos de receita, baseados em nova informação. Isto é ainda mais verdade na indústria da manufactura, onde os avanços na intercomunicação de máquinas e sistemas, big data e inteligência artificial (IA) podem transformar máquinas pré-programadas em robots colaborativos ou “cobots”, que interagem com pessoas adaptando-se a novas necessidades durante a produção. Tecnologia como esta permite a todos os fabricantes, independentemente do seu tamanho, aceder a informação que os ajuda a concretizar avanços realmente transformadores para todos aqueles que estiverem dispostos a dar o salto tecnológico.

Tornar a inatividade uma coisa do passado

Se uma máquina avariar numa fábrica, cada hora em que ela não está a trabalhar significa perda de lucro. Normalmente, quando algo avaria, um engenheiro especialista do fornecedor é chamado ao local para resolver o problema, algo que demora sempre mais tempo do que esperado.

Isto é tão verdade para a linha de produção de uma fábrica como para uma torneira num escritório, uma vez que o inesperado tempo de inatividade de um simples equipamento pode impactar a produtividade da empresa como um todo. Mas, ao incorporar a Indústria 4.0 e tecnologias como sensores e medidores no equipamento, os fabricantes podem prever o quão perto estão de uma avaria –  e evitar que isso afete os clientes.

A Grundfos é uma fábrica dinamarquesa de bombas de água que usa inteligência avançada para fazer exatamente isso. A informação recolhida pelas bombas é guardada e analisada na Microsoft Azure, um serviço de Cloud que os ajuda a prever com precisão quando será necessária a manutenção. Se, por exemplo, uma bomba de água da Grundfos começar a decompor-se num sistema de aquecimento de um escritório, os funcionários do edifício são imediatamente notificados e podem agendar a manutenção com os especialistas da Grundfos, em tempo oportuno – assim nenhum colaborador é deixado sem aquecimento quando mais precisa.

Dar poder aos colaboradores

Os benefícios da transformação digital também se estendem aos colaboradores das empresas, permitindo que estes poupem tempo e ofereçam apoio mais especializado e personalizado aos clientes.

A Sandvik Coromant é um fabricante sueco de máquinas e ferramentas para a indústria metalomecânica global. Com o uso da Azure e da Cortana Intelligence, a Sandvik Coromant digitalizou anos de profundo conhecimento dos seus produtos numa plataforma que pode ser consultada por qualquer funcionário. Quando um consumidor tem um problema com a sua máquina, eles podem ligar para a Sandvik, e com a ajuda desta plataforma, qualquer funcionário do suporte técnico torna-se um especialista capaz de fornecer ajuda personalizada e de alta qualidade. Com este conhecimento na ponta dos dedos, os colaboradores passam muito menos tempo a diagnosticar o problema e encontram a solução de forma mais rápida.

Nevzat Ertan, Chief Enterprise Architect e Senior Manager na Sandvik Coromant, acredita que este tipo de tecnologia “não vai substituir o colaborador”, mas sim “dar-lhe mais uma ferramenta para melhorar a produtividade”.

Indústria 4.0

Facilitar a colaboração

Quanto mais indústrias aceitarem o poder colaborativo da Indústria 4.0, mais fácil será alinhar esforços na criação de “ecossistemas digitais” e conetar sistemas inteligentes através de todas as partes da cadeia de fornecedores, que impulsiona uma verdadeira eficiência, produtividade e inovação empresarial.

A empresa de dragagem belga, Deme, conhecida por criar as Palm Islands no Dubai, criou uma parceria com a Microsoft para desenvolver uma plataforma à volta deste princípio. Os aparelhos Microsoft Surface, incluindo o Surface Hub, são agora indispensáveis na empresa, tornando as comunicações mais fáceis entre toda a empresa. Todas as aplicações críticas da empresa são também apoiadas por tecnologia da Microsoft, incluindo a Azure e o Office 365, facilitando a colaboração através da Cloud e optimizando os resultados da empresa. Para a Deme, melhor colaboração significa que podem ter a vantagem que lhes permite continuar competitivos no sector da engenharia.

A Indústria 4.0 está a transformar a indústria da manufactura. Está a permitir aos fabricantes serem cada vez mais economicamente viáveis e ambientalmente sustentáveis. A Microsoft está empenhada em desenvolver tecnologia que ajude fabricantes e parceiros a desbloquear informação e a criar sistemas de inteligência que melhorem a forma como as pessoas vivem, trabalham e, em última instância, disponibilizar a todo o mundo produtos e serviços melhores e mais inovadores.

Para descobrir mais sobre a visão da Microsoft para a Indústria 4.0 e a transformação da indústria da manufactura clique aqui.