Ir para a página inicial
Queda d'água.

Como os dados de água limpa estão ajudando a proteger os preciosos ecossistemas do Brasil

A água doce é um recurso essencial. O Brasil tem mais do que qualquer outro país, mas milhões de seus habitantes ainda não têm acesso a fontes de água limpa e segura.

Esgoto, drenagem e poluição industrial contaminam muitos dos rios que correm pela região da Mata Atlântica do Brasil. Esta vasta área, que se estende de Natal, no norte, até as fronteiras com o Paraguai e a Argentina, no sul, abriga as maiores cidades do país e a maioria de sua população urbana.

Água de baixa qualidade pode trazer doenças, exacerbar a pobreza e dificultar o desenvolvimento econômico – e os efeitos nocivos não estão restritos aos seres humanos. A região da Mata Atlântica inclui ecossistemas ameaçados que são algumas das áreas mais ricas em biodiversidade do mundo. Cerca de 20.000 variedades de plantas e centenas de espécies de mamíferos, aves, répteis, anfíbios e peixes vivem em habitats que vão desde densos manguezais até altas pastagens.

Desde 1986, a SOS Mata Atlântica trabalha para proteger esses ecossistemas e a população da Mata Atlântica. Como parte de sua iniciativa de água limpa, 3.500 voluntários monitoram 250 rios, testando continuamente a qualidade da água e registrando seus resultados.

Neste vídeo, os voluntários explicam como um subsídio do programa AI for Earth da Microsoft os ajudará a coletar e compartilhar dados para influenciar políticas públicas e preservar um recurso vital.

Para mais informações sobre como a Microsoft coloca ferramentas de nuvem e inteligência artificial nas mãos dos que trabalham para resolver os desafios ambientais globais, visite AI for Earth.

Fotografia: Adriano Gambarini / RUN Studios for Microsoft